EU MAIOR

Apr 9, 2011 by

Essa foi uma semana marcada por sofrimento, por questionamentos e uma certa falta de esperança para muitos brasileiros. As pessoas se chocaram com a tragédia no Rio de Janeiro, li, ouvi e me abati com comentários sobre como é díficil e triste ser humano. Pesado… senti muita pena, e uma vontade enorme de pedir perdão pelas atrocidades sociais que fomentamos. Vontade de pedir perdão até para o atirador… talvez ele tenha se desumanizado justamente por ter ficado tão à margem. Foi uma semana em que nosso lado obscuro não pôde ser ignorado.

Mas não quero falar desse assunto, acho que ele está sendo muito explorado. Quero mostrar à vocês uma iniciativa muito bacana, o documentário EU MAIOR. Ele trata sobre a busca do autoconhecimento e da felicidade, e conta com entrevistados de diferentes áreas, que falam sobre suas experiências e concepções à respeito do tema. O documentário não está pronto, ainda está em fase de produção e de captação de patrocínio (você pode ser um patrocinador: acesse www.eumaior.com.br e saiba como).

Apesar de não pronto, os idealizadores já disponibilizaram alguns trechos de entrevistas no you tube, e nossa, cada um deles vale muito a pena assistir.

Enquanto homens, somos permeados pelo o que há de pior, e pelo que há de melhor. Precisamos trabalhar nossa consciência individualmente e isso certamente se refletirá em nosso meio. Comece hoje, o mundo precisa disso.

Comentários

  1. O que há de melhor e o que há de pior…
    Pois é Ana, eu acho que de uns 20 anos pra cá a sensação de velocidade é tanta, o mundo nos escorre tão rápido (e ao mesmo tempo ele está lá, parado, lento, esperando que atuemos) que fica cada vez mais difícil parar, serenar, aproximar-se do que é certo e até do que é errado. Acho que não conseguimos nos posicionar mais e vamos sendo levados para qualquer lado que essa velocidade toda nos leve.
    Parabéns pelos posts!!

  2. Realmente Flavio, acho que é por ai. E então, vemos a importância do parar, do avaliar como se fosse vendo de fora, nossas posturas sociais e individuais. Isso é criação de consciência. Enquanto somos “levados” estamos agindo dentro do campo do inconsciente. Separar do coletivo é uma tarefa bem importante em nosso desenvolvimento. Obrigada pelo comentário!

  3. Maravilhoso, não acha? Minha idéia do post é justamente para contribuir na divulgação e na captação de recursos para o documentário!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Receba as novidades do Terapia em dia por e-mail