Homofobia: a atuação de um conflito interno.

Apr 24, 2011 by

Gostaria que vissem esse vídeo, sobre uma pesquisa feita que relaciona a homofobia com conflitos internos à respeito da própria sexualidade.

Essa pesquisa dá um embasamento cientifico para um conhecimento que há tempos participa do senso comum. Claro, não podemos generalizar e dizer que todo homofóbico seja gay, mas podemos sim nos perguntar quais processos psíquicos estão sendo atuados durante qualquer ato de preconceito.

Acho que o processo básico pode ser descrito da seguinte maneira: um ego unilateral possui em seu inconsciente o oposto daquele conteúdo que predomina na consciência. E aquilo que não enxergamos em nós (mas possuimos) é com frequência visto fora, projetado no outro.  A mesma atitude que a consciência demonstra para o inconsciente (rejeição e  julgamento) o indivíduo vai ter com outras pessoas.

Se quiser se conhecer melhor, comece observando aquilo que vê no outro e rejeita. Alguns conflitos são atuados no mundo externo porque a pessoa ainda não dá conta de percebê-los e resolve-los internamente.

Pessoas bem resolvidas não se sentem ameaçadas pelo diferente, e tampouco gastam sua energia apontando dedos por aí.

Posts relacionados

Compartilhe

Comentários

  1. Oi, Ana!
    Concordo com a tua opinião. Aliás, como você bem disse, já é de certa forma um senso comum. Isso me relembrou algo que li um dia sobre uma técnica descrita pelo Jung, confesso que não fui confirmar no próprio autor, de que deveríamos escrever o que observamos de errado no outro e então intitular esses escritos com “Eu sou…” e os reler. Acho que é por aí mesmo. Se começarmos a aceitar melhor os outros por consequência nos aceitaremos melhor e vice-versa.
    Parabéns pelo blog!

  2. Ação democrática legitima (a de afirmar que os homossexuais são perseguidos) de pessoas de grande habilidade de Mídia; a qual cito no Blog que vou sugerir no seguimento para conhecimento e avaliação.
    Quando digo grande habilidade no saber como tratar Notícias e Informações; isto decorre do fato da maneira ruidosa e coerente como conseguem transformar um fato (lamentável é claro) em um factóide (fato maximizado, ampliado acima da sua real razão de ser) de grande repercussão, como é feito diversas vezes que ocorre algum tipo de agressão a homossexuais; cujos números estão muito aquém das agressões contra a mulher e as mútuas entre torcedores, pelo fato fútil de serem torcedores de Times diferentes… Comento isto aqui como elogio à forma inteligente como os homossexuais trabalham os Meios de Comunicação, reproduzindo aqui e ali elementos de Merchandising para aprovar o PLC 122.
    É estranho e difícil para eu entender como os homossexuais e a Mídia que têm dentro da sua comunidade ─ hoje e no decorrer da história ─ pessoas inteligentes semelhantes aos filósofos gregos homossexuais: o grande retórico Lísias e o inteligentíssimo Aristófanes, autor do Mito do Andrógino, ver, obra O Banquete da Platão ─; também artistas, intelectuais, pessoas de várias formações acadêmicas e principalmente as da área das Letras; não atentem para o que chamo de estupidez lingüística, que é o chavão acusativo HOMOFÓBICO (de homo-fobia), sabendo-se que homo (latim, homem), homo (grego; igual, semelhante; que é usado em homofobia) e fobia (grego, φόβος ─ medo com decorrente ação retro-ativa de fugir). Do que se conclui que: ao chamarmos alguém de homofóbico estaremos dizendo exatamente ser aquele que tem o sentimento de medo (fobia) a vítima desse (o criminoso no exato entendimento do termo) que lhe infunde medo.
    Não tenho nada absolutamente nada contra os reais direitos dos homossexuais; entretanto tenho tudo contra O PLC 122 OU A DITA LEI HOMOFÓBICA (este é o título do meu Blog), cujo endereço é http://www.verdaderespeitoejustica.blogspot.com , no qual, demonstro ser esta lei, não aquilo que defende os direitos dos homossexuais e sim, um odioso instrumento de Censura; como também está de maneira sintética (sinopse) em outro Blog meu, endereço  http://www.sinteserespeitoejustica.blogspot.com .
    P.S.: Apenas para reforçar como lembrete e gerar interesse ou curiosidade com relação ao Blog citado. CLAUSTRO + FOBIA, FOTO + FOBIA e algumas outras fobias têm plena assertiva nas suas construções, pelo fato óbvio de que quem está enclausurado ou diante de uma forte luz, desesperadamente busca fugir. O que aconteceu com as pessoas que têm conhecimento lingüístico? E o bom senso, o que foi feito dele (no não haver cuidado com o que se escreve e veicula), quando se mantêm o absurdo chavão chamado HOMOFOBIA, que é exatamente contra aquilo que se quer defender?.. Obrigado e parabéns pela dignidade democrática de respeitar opiniões.
    Atenciosamente JORGE VIDAL

  3. Ricardo Aguieiras

    Não quero , aqui, questionar nenhum estudo de Psicologia por que eu não tenho mesmo embasamento cultural para isso. Falo apenas como um militante LGBT , desde 1978, com a fundação do Grupo Somos no Brasil. Eu acho que a homofobia se estabelece na construção do cri9stianismo e das religiões fundamentalistas e , também nomachismo e misoginia. Temo que ficarmos, nós LGBT, achando que um homofóbico é um gay enrustido estaríamos dando um tiro no próprio pé, seriamos, então “culpados” pela própria homofobia. Acho discutivel isso… mesmo por que a homofobia não precisa de explicações outras que não a própria criação e educação dada pelos pais e mães, as religiões que cerceiam e dissiminam o ódio achando que isso é “liberdade de expressão”, quando na verdade é fascismo, as ideologias esdruxulas como o nazismo, que proliferam, o patriarcalismo, machismo e misoginia. Evidente que pode ter um ou outro/outra homofóbic@ que tenta destruir no próximo o que não aceita em si… mas acho isso muito pequeno perante todo o resto que vivenciamos de homofobia e preconceito. Há, nas sociedades, incluindo a brasileira (Brasil é, comprovadamente, campeão mundial em assassinatos de LGBT’s), um “senso” dissiminado que vidas de lGBT’s nada valem, que somos seres inferiores e isso não vem do enrustimento.
    Obrigado,
    Ricardo Rocha Aguieiras
    aguieiras2002@yahoo.com.br

  4. Olá Ricardo. Você está certo, não podemos dizer mesmo dizer que a homofobia se justifica numa homossexualidade não assumida. Ainda que possa existir casos que se justificariam dessa forma.
    Mas o que o texto aborda é quanto mais um ser humano se conhece (ainda que em potencialidades) menos ele julga o comportamento do próximo.
    Quando a pessoa é bem consciente ela pode não gostar, ou até mesmo achar que determinado comportamento seja nocivo, mas ela não julga, e muito menos sai por ai lutando contra isso.
    O problema é que algumas pessoas acham que o mundo deveria funcionar segundo suas leis pessoais. Eu posso ter minhas leis e meus valores, mas se estiver bem resolvida, não vou forçar ninguém à segui-las.
    Um abraço

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Receba as novidades do Terapia em dia por e-mail