Quando menos é mais

Feb 26, 2012 by

Informação. Nunca foi tanta, e nunca esteve tão disponível. Soma-se isso à realidade de uma sociedade de consumo voraz: o resultado só pode ser um devoramento compulsivo de tudo o que se encontra ao nosso redor.

“Não há tempo à perder!” Dizem por aí…  e assim vamos engolindo (sem mastigar nem digerir) o que nos acontece ou o que nos interessa. Mas assim como não é a comida que nos nutre – e sim a digestão que é feita dela – a informação devorada não nos traz conhecimento, muito menos sabedoria.

Temos que descer desse trem desatinado se quisermos fazer algum progresso em termos de sabedoria. É preciso obedecer ao tempo dos processos ruminativos. Caso contrário me transformo não no que sou, e sim no que o mundo me oferece. E aí o que tenho eu para oferecer ao mundo???

Nós só nos apropriamos das coisas quando temos tempo para refletir e processar. Tem que acontecer uma assimilação de tudo o que é visto e de tudo o que é vivido, nem que para isso seja preciso ver ou viver “menos”.

Coloco esse menos entre aspas porque realmente acredito que quando existe intenção e consciência, nós vivemos é MAIS.

Mais e menos aqui não diz respeito ao tempo, nem à repetição, e sim à qualidade. Não deixem que as coisas passem sem que nada seja acrescentado…

Um livro bem lido ou um amor bem vivido, valem por mil.

Posts relacionados

Compartilhe

Comentários

Receba as novidades do Terapia em dia por e-mail