Sobre o amor, crescimento e gratidão.

Sep 19, 2009 by

Van-Gogh

Ontem estava em uma colação de grau de uma amiga e fiquei observando as pessoas que estavam por lá e também minhas próprias reações. A medida que as homenagens eram prestadas (especialmente a homenagem aos pais) eu fiquei orgulhosa e contente por ser humana. Que animal mais divino e lindo… que consegue se emocionar e vibrar com as conquistas dos outros… que tem sentimentos de gratidão e consegue reconhecer o quanto o outro é importante em sua jornada e evolução.

Uma colação de grau é quase um rito moderno sobre a entrada no mundo adulto…

No discurso de agradecimento aos pais – reverência aos nossos ancestrais – acho que cada um que estava ali na platéia pôde refletir acerca de seus próprios pais e muitos foram invadidos por esse sentimento lindo de “eu consegui chegar aqui apesar das dificuldades” e também de “obrigado, acho que sozinho não teria conseguido”.

Naquele momento pude olhar para o meu caminhar… uma grande parte de minha vida foi traçada sem que eu precisasse decidir qual caminho escolher. Tive uma excelente educação e formação que me permitiram fazer escolhas pessoais e profissionais que funcionaram e puderam me realizar.

Tive medo em cada decisão tomada – escolha profissional, mudança de cidade, abertura de consultório, casamento… e em todas elas um sacrifício foi envolvido.

Como o ser humano é um ser consciente ele sabe que ao fazer uma escolha ele perde a possibilidade de viver todas as outras… ao me tornar psicóloga deixei de ser médica… ao mudar de cidade deixei de ser filha… ao arriscar a psicologia clínica deixei de ganhar o dinheiro certo e imediato do recursos humanos… ao me casar deixei a chance de me relacionar com outros homens…

E mesmo com essas perdas sei que não poderia ter sido diferente, pois fui fiel ao meu coração. E sei que essa força e esse mérito não são apenas meus.

Primeiramente é dos meus pais por todo o amor e suporte (financeiro, emocional, afetivo, etc) e que também foram maduros e sábios o suficiente para apoiar e respeitar minha partida, mesmo que isso significasse uma perda para eles. Saibam que de longe meu amor e gratidão só aumentaram por vocês!

A Márcia Sel, minha antiga terapeuta, que com muito amor esteve comigo em cada morte e ressurreição.

Ao meu marido, que me ensinou o que é o amor.

“The greatest thing you´ll ever learn is just to love and be loved in return”

Posts relacionados

Compartilhe

Comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Receba as novidades do Terapia em dia por e-mail