Hybris – a desmedida

Aug 13, 2012 by

 

A hybris é um conceito grego que significa desmedida, no sentido de cometer excessos. É o “pecado” daquele que se tem em altíssimo valor, que é orgulhoso, insolente, presunçoso, e isto tudo unido à falta de controle sobre seus próprios impulsos, paixões e emoções. Os sete pecados capitais são exemplos dessa hybris, e dentro da tradição cristã são os pecados merecedores de condenação.

Na mitologia vemos que alguns heróis, tomados por esse excesso de confiança, incitam os deuses à humilhá-los ou até mesmo derrotá-los. Icarus (o personagem da imagem que ilustra esse post) chegou muito próximo ao sol por sua hybris, e o calor derreteu a cera com a qual suas asas foram feitas, e ele caiu.

Como poderíamos estabelecer um paralelo entre esses mitos aonde heróis confiantes demais são castigados pelos deuses e a nossa condição cotidiana?

Vemos por aí que é próprio do humano – especialmente os mais jovens – viver o mito do herói à medida que cresce. Sai da casa dos pais, luta por conseguir seu espaço no mundo, e assim como os heróis gregos também pode passar de suas próprias medidas e receber o “castigo”. Na mitologia a hybris é a consequência de identificar-se com os deuses. Na psicologia é o retrato do ego inflado identificado com o Self. (Quem quiser ler mais sobre acesse http://www.terapiaemdia.com.br/?p=1162)

A pessoa que identifica-se com certos atributos divinos – a sensação de invencibilidade por exemplo – se coloca facilmente em grande risco. É só olharmos para a desmedida humana. Tantos jovens que perdem suas vidas em acidentes de carro…

Além de acidentes, muitas doenças psíquicas são os “castigos” para a hybris na modernidade. Os muitos sintomas estão aí para nos mostrar que não somos senhores dentro de nossa própria casa.

A hybris não ocorre apenas numa camada mitológica ou individual, e podemos percebê-la em nações inteiras. O que fazemos com o mundo na tentativa de extrair e subjugar a natureza certamente há de trazer severas punições aos habitantes da Terra.

Alguns rituais de oferendas e sacrifícios são voltados à evitar a hybris. Nunca se oferece ou se sacrifica algo que não tenha valor ao humano, e isso o protege de sua identificação com os deuses.

Temos que saber (ao menos razoavelmente) qual é o nosso tamanho. Nem mais, nem menos. Confiança e uma certa presunção são absolutamente necessárias para termos a audácia de realizar.

Até imagino que aquela sensação que muitas pessoas tem de que quando tudo anda muito bem é bom se preparar porque algo de ruim vai acontecer esteja relacionado a esse assunto…

 

 

Posts relacionados

Compartilhe

Comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Receba as novidades do Terapia em dia por e-mail