Os arquétipos da jornada do herói na maturidade – O Mago e o Governante

Oct 3, 2009 by

Mago

Muito ouvimos e vemos sobre esses dois grandes arquétipos nos contos de fada ou nos filmes de Hollywood: Governante e o Mago. Quando pensamos no primeiro vem a imagem de alguém no poder, o responsável pelo reino e seus habitantes. Aquele que procura o herói para ajudá-lo a reorganizar o reino em tempos de caos.

Quando pensamos no mago nos vem a imagem de um velhinho poderoso, que dá ao herói uma poção mágica de cura para ser tomada caso ele seja ferido em batalha. O mago mostra saídas ao herói e geralmente aparece de surpresa em momentos de dificuldade.

Juntos, esses dois arquétipos nos dizem sobre o sutil e importante equilíbrio entre a ordem e o caos – os ingredientes necessários para a renovação da vida.

O Governante nos traz o controle, o poder e a ordem e quando muito energizado pode nos levar a estagnação.

O Mago nos traz a criatividade, o caos, a cura e a transformação.  Sem o mago você pode até saber de sua responsabilidade perante a vida mas não terá a energia necessária para se curar e a partir daí transformar o mundo. O mago sabe que as mudanças partem de dentro para fora.

Na maturidade percebemos que nosso exterior é um reflexo de nosso interior.

O Mago deve andar de mãos dadas com o governante, caso contrário temos o caos, a falta de equilíbrio e poder sobre nossas vidas. Um Mago sem responsabilidade pode destruir o mundo.

Quando os dois estão juntos temos responsabilidade e poderes suficientes para TRANSFORMAR o nosso reino em um lugar próspero, saudável e pacífico. Agora troque a palavra reino por vida, e troque também por mundo. E assim você entenderá a dimensão desses arquétipos na espécie humana!

Comentários

Receba as novidades do Terapia em dia por e-mail