A jornada do herói no processo da psicoterapia.

Oct 4, 2009 by

Espiral - um modelo de desenvolvimento psiquico

Chegamos ao nosso último post através da jornada do herói. Aconselho as pessoas que não leram os posts anteriores sobre o assunto que o façam para ter uma noção de como é essa jornada mítica e  também muito humana.

Se pudermos identificar quais arquétipos tem regido nossas vidas criamos uma consciência necessária às mudanças que gostaríamos de promover.

Conforme você der atenção às figuras do inconsciente que estão ativas sua consciência se espande e você se fortalece, o que permitirá um desenvolvimento psicológico e emocional. Esse desenvolvimento pode ser traduzido em ter sua vida e seu destino de volta em suas mãos.

Podemos olhar a jornada do herói como eu fiz nos tópicos – ou seja, através das idades. Queria eu que todos  passassem por essas etapas, mas a verdade é que envelhecemos rápido enquanto a sabedoria tarda a chegar. Eu prefiro olhar para a jornada do herói do ponto da psicoterapia e vejo as etapas acontecendo em cada tranformação. Mudar é uma das tarefas mais difíceis que devemos cumprir para salvar nosso reino.

Quando um paciente começa sua terapia – e isso não significa apenas comparecer às sessões e sim entrar no processo terapêutico – vemos essa evolução do herói acontecer. Me incluo aqui. Além de psicoterapeuta também faço minha análise.

Normalmente ele chega e fala de suas frustrações em relação ao Outro. Esse Outro pode ser um trabalho, um chefe, um namorado, uma esposa, seus pais, etc… Não importa, o que vemos ali é um amor frustrado. Como o Órfão

Suas esperanças e idéias de como resolver o problema geralmente são Inocentes. Pode ser dedicar-se mais ao grande Outro – Amante – ou fugir de vez a procura de Outras coisas – Explorador. Mas ainda a busca da felicidade e da coerência está fora do sujeito e não dentro.

Num terceiro momento ele vê a responsabilidade que tem sobre seu destino e escolhas. O Outro não pode me fazer feliz. Eu faço minha felicidade -Guerreiro – e minhas ações tem um peso no mundo – Caridoso.

EU preciso abrir mão daquilo que não me serveDestruidor – e EU preciso me cercar daquilo que me é necessário e me faz bem – Criador.

Com o discernimento, a força, a responsabilidade e a capacidade de agir adquiro controle sobre minha vida e meu destino – Governante. Percebo que meu exterior reflete meu interior. E eu devo ser agente das mudanças que desejo para minha vida – Mago. E agora sei como fazer. Posso fazer.

Por último vem a sabedoria que enxerga um sentindo nas coisas da vida, que auxilia a pessoa por todo o seu  presente e futuro caminhar - Sábio – e uma leveza no viver, uma alegria única daqueles que sabem amar e viver a vida – Bobo.

Espero que o entendimento da jornada do herói possa incentivar os que lerem esse blog à buscar seu crescimento pessoal e espiritual seja através da psicoterapia ou não. O importante é crescer, crescer, crescer… =)

Posts relacionados

Compartilhe

Comentários

  1. Olá Flávio! Farei o post sobre animus e anima sim, mas assim como o mito do herói ele sera feito de algumas partes por se tratar de um assunto bem complexo!
    Meu próximo post será sobre o Complexo de Jocasta. Só para introduzi-lo e talvez deixar alguém com água na boca (especialmente as mulheres) vou falar quem foi jocasta e de que forma isso se aplica em nossas vidas.
    Jocasta era a mãe de Édipo, e ela reaparece em nosso cotiano na figura da sogra superprotetora. Para essa sogra nenhuma mulher é boa o suficiente para seu filho – o que acaba por criar muita rivalidade entre as duas – e ela faz de tudo para manter-se por perto do filho o que muitas vezes se traduz em homens imaturos. Já falei demais!

  2. Du Cabrera

    Ótimo resumo!!! Mas como todo resumo, tudo se apresenta de forma simples e coesa… queria que a vida seguisse esse mesmo rumo… não um resumo propriamente dito, mas algo tangenciando o simples e lógico. Viver é mais complicado que estudar. Ler é mil vezes mais simples do que aplicar. Mas de tudo, fica aqui um muito obrigado pelos conceitos discutidos… caminhar sob um facho de luz é menos temeroso do que dar um passo no escuro. Que sirva então de luz ter todo esse conhecimento e melhorar, ao menos um pouco, esse jogo de erros e acertos que é viver.

  3. Sim. A vida – como o Flávio também comentou – não segue esse desenvolvimento linear. Ela é caótica. Não é lógica. Não é matemática…
    Infelizmente para estudar ou falar sobre um assunto precisamos ser didáticos. Por cada indivíduo ter o seu desenvolvimento peculiar nos resta pegar alguns pontos em comum e falar sobre eles.
    Ao entender a tragetória do herói – ainda que teoricamente – é possível que o indivíduo identifique em qual etapa está, também que procure buscar o desenvolvimento de características que compensem atitudes unilaterais que está tendo… normalmente em cada fase a gente se idenfica mais com um arquétipo do que com outro. Nos vemos mais inocentes, ou mais amantes, ou ainda mais criadores… Sabendo disso temos condições para buscar no arquétipo oposto o nosso equilibrio.

    Pode ser um bom exercício!

  4. virginia izabel

    “Por acaso” entrei nessa página e me deparei com essa incrível imagem, é gostaria de saber como conseguir todas as outras para poder me inteirar dessa reflexão terapeutica.
    Agradeço desde já sua atenção,
    Abraços
    Virginia Izabel.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Receba as novidades do Terapia em dia por e-mail