Os conflitos existentes dentro do ser.

Oct 24, 2009 by

O sutil equilíbrio entre as partes da psique...

Sugiro que quem não leu o post anterior o faça antes de iniciar este. Ali tem uma breve explicação da visão que a psicologia analítica tem a respeito do aparelho psíquico humano e ajudará no entendimento da dinâmica dos conflitos entre o consciente e o inconsciente.

O ser humano é antes de tudo um ser vivo – e como tal busca o equilíbrio necessário a manutenção desta vida. Fisiologicamente este equilíbrio é buscado de várias maneiras: se temos sede precisamos de água, se temos fome precisamos de alimento, se temos excesso de calor o corpo procura se refrescar, quando estamos no escuro as pupilas se dilatam para perceber melhor a luz, etc.

Psicologicamente esse equilíbrio também é buscado. Quando em nossa consciência possuímos atitudes muito unilaterais o inconsciente procura equilibrar o psiquismo através de conteúdos análogos – mas opostos.

Abaixo vou transcrever um trecho escrito por Jung que explica muito bem essa dinâmica de integração de opostos:

“Os conteúdos que irrompem na consciência não são absolutamente destituídos de sentido. A experiência psiquiátrica com doentes mentais  mostra-nos que há relações peculiares entre os conteúdos da consciência e os delírios e ilusões que nela irrompem. [...] A conexão é, em substância, uma relação compensatória. Os conteúdos do inconsciente, com efeito, trazem à superfície tudo aquilo que é necessário, no sentido mais amplo do termo, para a totalização, isto é, para a totalidade da orientação consciente. Se o indivíduo conseguir enquadrar harmonicamente na vida da consciência os fragmentos oferecidos ou forçados pelo inconsciente, resultará então uma forma de existência psíquica que corresponde melhor à personalidade individual e, por isso, também elimina os conflitos entre a personalidade consciente e inconsciente. É neste princípio que se baseia a moderna psicoterapia [...]“

Os conflitos psicológicos nos mostram claramente quais conteúdos estão em oposição e necessitam entrar em acordo para harmonizar a briga entre consciente e inconsciente. Quando esse conflito é resolvido é como se a pessoa equilibrasse realmente uma parte de seu ser. Essa parte quando unificada representa a expansão da consciência e sua aproximação com a personalidade mais essencial e primeira do ser humano.

Quando nos aproximamos dessa personalidade essencial – nosso si-mesmo, aquilo que teríamos nos tornado num mundo ideal – as recompensas são enormes. É um estado de paz, de unidade – de existência plena. Não sei se alguém já atingiu permanentemente esse estado de graça (não no mundo ocidental pelo menos) mas ainda assim é possível termos momentos em que nos sentimos completos e realizados. E no resto do tempo ao menos em paz – ou com a sensação que estamos no nosso caminho.

Quase escrevi no final do parágrafo anterior “caminho certo”.  Mas isso não existe. E se existe não é comum. Cada um tem o seu. Você sentirá que está no seu conforme aproximar-se de seu self.

Enquanto terapeuta eu preciso sempre pensar nisso. O quanto não posso ter expectativas sobre meus pacientes. O que é certo (e errado) para mim não necessariamente também é para eles. A única expectativa que posso ter é que cada um busque ser si-mesmo. Nem melhor, nem pior. Apenas si-mesmo.

Comentários

  1. Texto perfeito!!!!
    Adorei!
    De hj em diante vou acompanhar seus posts!
    Acho que os sonhos são isso emsm o!
    Sabe que eucostumo dizer que sempre que eu sonho algo parecido acontece ou pelo menos se sonhei com “determinada” pessoa, “coincidentemente” acabo a encontrando no dia seguinte, ou ela me liga, ou manda um e-mail/msg, etc!
    Acho que emano grande energia qdo eu sonho!
    Mas oq convem dizer é que sonhar e realizar algo é realmente equilibrar, ou pelo menos buscar o equilibrio. Vc qdo acorda e conseguiu realizar algo pelo menos em sonho, faz sentir-se plenamente feliz. O duro é qdo vc acorda na hora que ia definir-se!
    Um assunto para comentar-se! Rs!!
    Vc pode até tentar dormir de novo, mas dificilmebte consegue retomar a “cena” de onde parou…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Receba as novidades do Terapia em dia por e-mail