As muralhas de Jericó.

Dec 23, 2009 by

Jericó

Olá leitores do terapia em dia. Para começar, devo reconhecer que não estou tão produtiva aqui no blog quanto deveria. O fim de ano tende a ser mais corrido porque queremos (e precisamos) dar um desfecho para uma série de coisas que estavam em aberto durante o ano. E o blog acabou ficando um pouco de lado.

Pois bem, mas a boa filha a casa retorna, então aqui estou!

Gostaria de escrever hoje sobre uma coisa muito bacana que encontrei num livro de Robert Jonhson, chamado Inner Work.

Existe uma história bíblica – que se passa mais ou menos em 1.400 a.C. sobre a queda das muralhas de Jericó.  Na história, os israelitas estavam lutando em seu árduo trajeto até a terra prometida. Em seu caminho encontraram a fortificada cidade de Jericó, um obstáculo no cumprimento de sua jornada . Os israelitas não estavam nem treinados nem equipados para enfrentar o povo de Jericó. Então Deus os orienta para que façam um rito durante 7 dias, aonde deveriam contornar os muros da cidade pelo lado de fora tocando trombetas. E, de acordo com a história, no sétimo dia desse ritual as muralhas da cidade caíram e os israelitas venceram o inimigo.

Como em todos mitos e passagens religiosas, essa também é carregada de simbolismos. Quando falamos em Jericó também estamos falando dos bloqueios e obstáculos que encontramos em nosso caminho durante a busca pela terra prometida. Em outro post já expliquei que o termo Terra Prometida (assim como reino e paraíso) se refere ao encontro de nosso self, nosso eu interior. Aquele lugar em que encontramos paz.

Esses bloqueios são nossos conteúdos psíquicos menos desenvolvidos, ainda muito arcaicos e presos em nosso inconsciente.

Quantos não se veêm paralisados em seu processo de individuação por esses conteúdos? Medos, compulsões, sentimentos, emoções… e assim por diante.

E que lição podemos tirar dessa história sobre a queda das muralhas de Jericó?

A de que para superar esses grandes obstáculos interiores devemos cercar esse conteúdo, pacientemente, o tempo que for necessário até que ele se resolva.

Quando olhamos para nossos entraves inconscientes é como se fossemos jogando um pouco de luz nesse espaço. E a medida que ele se energiza o suficiente para que emerja na consciência aí então teremos a capacidade de escolher e julgar o que fazer com ele.

E acho que é nisso que consiste grande parte do trabalho analítico. Dar atenção aos conteúdos para que essas muralhas simbólica caiam e nós possamos continuar nossa jornada rumo a nossa terra prometida.

Posts relacionados

Compartilhe

Comentários

  1. As maiores muralhes são as que possuimos dentro de nós mesmos!

  2. Monize

    Parabéns pelo BLOG, está muito bom !

    Adorei o texto sobre induviduação, é o tipo de explicação que eu procurava

  3. Nádia

    O comentario é interessante, mais as muralhas de nossas vidas se derrubam com orações. Como aconteceu na história real, e que não é mito, mais acontecimentos históricos que podemos usar em nossas vidas atuais. Sim devemos rezar muito, ter paciência e confiança em Deus para podermos derrubar obstáculos (problemas e sofrimentos) que estão em nosso caminho.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Receba as novidades do Terapia em dia por e-mail