Quando nascem os pais?

Mar 14, 2010 by

Muitos poderiam responder essa pergunta da seguinte forma: é quando nascem seus filhos. Mas isso não é uma verdade universal.

Precisamos observar que existem dois tipos de realidade: a concreta – ou seja – aquilo que se passa em nosso mundo material – e a psíquica – que são nossas verdades subjetivas. Uma realidade influência a outra, mas as vezes nosso mundo interior não dá conta de fazer as mudanças necessárias para que nos adaptemos a novas realidades.

Com frequência bebês nascem e os pais não. Culpam a criança pelo tempo gasto, pelas coisas que terão que abrir mão, pela liberdade perdida, pelas dificuldades no relacionamento do casal… enfim…. enxergam a criança sob o prisma da PERDA. Porque para que um pai ou uma mãe possam nascer, eles precisam perder a condição de filhos.

Com isso não quero dizer deixar de ser filho concretamente, até porque isso é impossível. Se tem algo que todos temos em comum é que somos filhos. Psicologicamente falando, deixar de ser filho é conseguir ter autonomia, sustentar-se sob suas próprias pernas, ter uma identidade formada e ser capaz de cuidar de si e cuidar de outros que dependem de você.

Posts relacionados

Compartilhe

Comentários

  1. Andreia

    Ola!

    Eu digo o seguinte sobre esta frase da Ana- “(…) mas as vezes nosso mundo interior não dá conta de fazer as mudanças necessárias para que nos adaptemos a novas realidades”. Como experiência com meu ex-marido, posso dizer que isso se chama imaturidade( não consigo pensar em outra palavra agora, menos agressiva). Na vida, passamos por fases naturais- infância, adolescencia,adulto, idoso – e em cada uma dela adquirimos novas experiências e conhecimento. Quando chegamos a vida adulta, sinto que temos bagagem,de acordo com a nossa idade, para assumirmos diversos papéis na vida. Quando se deseja casar, devemos ter a plena consciência que não somos solteiros, portanto, devemos satisfação para o outro( não perdendo totalmente a individualidade, pelo amor de Deus!), respeito, atenção, dedicação, aprender a compartilhar, e o que pra mim é o primordial – a compreensão.

    Quando vem os filhos, devemos tbm ter maturidade suficiente pra mudarmos novamente, pq aumenta a resposabilidade, a atenção já passa a ser dividida e a paciência e a compreensão devem andar juntas! E o amor, sempre alimentado é claro.

    Voltando ao meu ex, por tudo que ele passou na vida, tinha absoluta certeza que ele seria um homem maravilhoso e um pai responsável. Mas, em inúmeras discussões que tivemos, um dia ele disse que não mudaria, que não precisava mudar pra ser marido e pai.Eu concordo em parte, pois não devemos deixar de ser o que nós somos, mas hj me auto analisando, vejo que mudei consideravelmente.

    A vida realmente nos obriga a mudarmos…

  2. Muito legal o seu blog! Parabéns!

    Sobre este assunto concordo com o comentário acima! Falta maturidade… aquela maturidade que todos deveriam adiquirir com o passar do tempo para aceitar as responsabilidades da vida adulta e isso acaba se refletindo nas relações afetivas e tbém na criação dos filhos. Infelizmente há uma grande parcela de pais e mães completamente despreparados para o exercício do novo papel de pai/mãe e as crianças que acabam pagando as consequencias.

    Não dá para crescer, evoluir, amadurecer sem deixar alguns comportamentos e pensamentos para trás… perdendo de um lado para ganhar do outro e assim crescer de verdade!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Receba as novidades do Terapia em dia por e-mail